Mensagem de Fim de Ano

PÉTALAS DO CORAÇÃO – A FLOR E O JARDINEIRO
Samuel Souza de Paula
Elevo meus pensamentos ao Infinito, abro meu coração, torno-me receptivo. E em meio a essa sintonização energética, recebo um presente. Sinto... E agora vejo uma flor rosa brilhante flutuando à minha frente. Seus raios luminosos se intensificam. Um estado íntimo se instala, um profundo sentimento de comunhão com a vida...Com essa sintonia, meus olhos brilham na certeza, certeza de que, a cada dia, estamos crescendo, em cada atitude, em cada experiência, em cada erro, em cada acerto. Com cada poda há um novo broto a surgir. Penso na paz mundial e no amor florindo carinhosamente... Penso, sinto, reflito, até onde chegará essa vibração. Dessa pequena flor... Deixo-me caminhar pelo jardim de suas palavras...Flor que triunfa entre as ervas e eleva a visão ao céu, e ao mesmo tempo contempla a sua sombra no chão. Ela, a flor que diz, dentro do coração: “Tenha um sorriso no rosto, um olhar brilhante e amor pela vida; tenha um coração esperançoso; o tempo passa e as coisas mudam; aproveite os raios de sol, absorva o brilho, e encha o jardim-terra com sua vitalidade e perfume de amor!”E seu diálogo vem como um filme. Um certo dia essa flor foi interrogada por um jardineiro, que, entusiasmado, admirava a sua beleza, e perguntou, meio sem saber por quê:- Qual seria o adubo da felicidade?- O cultivo do amor lançado em todos os terrenos – respondeu a flor, cheia de carinho e humildade, pois cada consciência é uma semente-vida que brota na terra, transforma, recria, e traz seu raro perfume.Então me lembro daquele conselho: “Quem se alimenta das coisas do mundo material sem as transformar, é um homem profano e não um homem espiritual”.E deixo a flor clamar: - Jardineiro, jardineiro, escuta o que digo, logo iremos aos jardins do espaço e, aqui, deixaremos nosso casco, que perfume deixarás? Vive sabendo que brotamos da mesma semente, somos filhos da Raiz-Primeira. Sejamos iniciados do amor.- De onde vem esse conhecimento, se só te vejo pregada nessa terra. Oh flor invisível, que vejo em meus olhos? – perguntou o jardineiro, em tom extasiado.- Não sou o que teus olhos vêem, disfarço-me na forma material. Muitos conhecimentos foram semeados pelo mundo, nunca deixes de aprender com eles, aprecia os aromas que te chegam suaves nas rosas da vida e sabe que, em seu caule, existem muitos espinhos. Estuda, acima de tudo, ama! O caminho do passado nos conduziu ao lugar em que nos encontramos agora. E do futuro nos levará aos planos superiores. Vejamos o passado como experiência adquirida. E o futuro como o próprio presente das atitudes de agora. E que o presente, sempre continuo, seja a apreciação da vida, mudança e eternidade.Foi então que uma chuva fininha começou a cair pelas terras nutridas de toda poesia dessa flor, como se bênçãos caíssem dos céus num espetáculo mágico. As gotas luminosas banhavam o jardineiro e a flor, e ambos sentiam o frescor sutil de vida. O jardineiro, então, fechou os olhos e, no silencio, sentiu... Caíam gotas de chuva nas pétalas da flor que brotou em seu coração.Cada gota era como gotas serenas de amor, amor... E seus olhos, depois abertos, como num espelho da alma, nutriam a mesma seiva de vida. E, numa eloqüência carinhosa, desejou...Que o perfume da alegria inunde todas as faces da Terra! Que a luz seja levada aos abismos trevosos e faça brotar a mais bela flor! Que o amor seja sempre cultivado e presenteado, e que a terra possa se tornar um dos mais belos jardins de Deus!Paz e Luz!

NA NET!!!

Mais um site divulga o blog "Agricultura na Cidade" como indicação. É o site "Orbitas - projetos inspiradores". Nós agradecemos o apoio e compartilhamos de idéias novas com atitudes conscientes.
Segue o Link:

HORTA CASEIRA


A agricultura urbana se refere a pequenas áreas dentro das cidades (como lotes desocupados, jardins, canteiros e recipientes) destinadas a atividades agrícolas com o objetivo de auto-consumo ou venda em mercados na vizinhança. Pela primeira vez na história da humanidade a maioria da população mundial vive em áreas urbanas. Junto com a expansão das cidades vem problemas com o planejamento urbano, gerenciamento do lixo, infra-estrutura coletiva e transportes. Os alimentos são trazidos de fora da cidade o que aumenta o número de caminhões resultando em congestionamento e poluição do ar. Cria-se, então, uma pressão enorme sobre os recursos naturais. A horta caseira é um tipo de agricultura na cidade e há vários motivos para se ter uma: (1) Consumir alimentos frescos aumenta seu valor nutricional; (2) enfraquecer grandes industrias alimentícias que visam apenas o lucro financeiros; (3) reaproveitamento de recipientes e redução do lixo; (4) aprender sobre terra, adubos, hortaliças, nutrientes e alimentação; (5) reaproximar-se da terra e de sua origem histórica. Então, MÃOS À HORTA!

CRIATIVIDADE!!!

Nossas crianças estão cada vez mais acostumadas aos produtos industrializados, como relata por exemplo, o documentário "Criança é a alma do negócio". Cabe a nós mostrarmos a elas, com criatividade em nossas cozinhas, a importância de uma alimentação equilibrada e baseada em produtos naturais, evitando a ingestão de conservantes, aromatizantes, espessantes, agrotóxicos etc. Uma opção para entrar no universo infantil são pratos coloridos, como panquecas com massa feita de beterraba (roxa), cenoura (laranja) ou espinafre (verde). A coloração é obtida sem compostos químicos!!! O mesmo pode ser feito com arroz também. Mas isto não é fácil, pois o mundo cada vez mais visual e virtual ilude as crianças através do marketing, usando também figuras coloridas, brinquedos de brinde, dentre outros. Uma estratégia interessante de marketing foi usada por um sacolão para incentivar o consumo de hortaliças. O tema da campanha era "Aqui a natureza é a estrela" e consistia na divulgação de "filmes" de hortaliças, frutas ou legumes em cartaz. Mais uma forma de provar que com a criatividade podemos mantermos nós mesmos e nossas crianças imunes aos chamados ilusórios dos alimentos industrializados. Segue abaixo alguns exemplos desta campanha:
É possível ver vídeos da campanha no you tube:

AGRICULTURA FAMILIAR

Segundo o último censo agropecuário, a agricultura familiar, com apenas 24,3% da área agrícola, é responsável por: 87% da produção nacional de mandioca; 70% da produção de feijão; 46% do milho; 38% do café; 34% do arroz; 21% do trigo. A menor participação da agricultura familiar foi na produção da soja (16%). Logo ela, a produção responável pelo desmatamento da amazônia, com o principal objetivo de alimentar o gado que posteriormente será encontrado nos pratos de muitos brasileiros. Mas voltando à agricultura familiar, ela é a grande responsável por 80% da nossa agricultura orgânica e ainda tem força econômica, sendo responsável por 10% do PIB nacional. Vale lembrar que tudo isso com menos terra e menos recursos públicos, que estão na sua maior parte concentrados nas mãos dos grandes empreendimentos do agronegócio. O que não se entende é a importância da "arte de se fazer comida", atropelada por interesses ambiciosos. Mas nós, brasileiros, ainda temos resquícios desta cultura do "saber fazer" graças à influência de índios, negros, italianos, japoneses etc, como já comentamos há algum tempo aqui no blog. Não podemos desperdiçar isto. Precisamos de políticas públicas sim, mas nós como cidadãos devemos além de clamar por elas, fazer a nossa parte atentos ao que consumimos. Seja em nossos pratos, guarda-roupas ou até mesmo em informações.
Para mais:

DENÚNCIA!


Segundo reportagem publicada na última segunda feira (12 de outubro de 2009) no jornal O Estado de São Paulo, "produtores de cebola, repolho e outras culturas que dependem da aplicação intensiva de agrotóxicos estão fazendo plantações nas margens da represa Itupararanga". Sem licença do Daee os produtores retiram água da represa, com bombas clandestinas, para utilizar na irrigação. Para facilitar o manejo da cultura, a tubulação do sistema de irrigação fica disposta morro abaixo, em direção ao manancial. Esta água junto com a da chuva, carregam pesticidas para a represa, cuja mata ciliar foi suprimida. Este manancial abastece cerca de 1 milhão de pessoas na região de Sorocaba. Mesmo sendo transformado em uma APA estadual (Lei 10.100/98) o manancial e seu entorno não são fiscalizados. Este é mais um exemplo de que a escolha do que colocamos em nossos pratos é muito mais complexa do que normalmente imaginamos. E assim é com tudo o que consumimos.

CONHEÇA O VERDADEIRO SABOR DA VIDA!!!

Uma homenagem ao dia Mundial do Vegetarianismo (01/04) e o dia Mundial do Animal (04/10). Lembrando que de 1 a 7 de outubro de 2009 se comemora a Semana Vegetariana Mundial. A Semana Vegetariana são sete dias, dedicados à promoção e divulgação do vegetarianismo, enquanto estilo mais saudável, ético e ecológico. Para mais informações acessem: http://www.semanavegetariana.com/

Minha Ausência

Olá Galera!! Me ausentarei por um tempo e por isto as novas publicações no Blog Agricultura na Cidade voltarão em outubro. Mas espero trazer novidades no assunto. Tomara que estejam gostando das nossas publicações (textos e vídeos), fazendo bom proveito e se inspirando para tornar nossas casas, bairros e cidades ambientes mais sagrados. Estejam sempre a vontade para mandar e-mails fazendo críticas ou sugestões.

Um forte abraço fraterno a todos.

Fiquem na Paz.

Haribol!!!!

....................................................................................................

COMPOSTAGEM: O QUE É E PORQUE FAZER

Na natureza a decomposição da matéria orgânica ocorre de maneira natural. Os restos de animais e vegetais são transformados, pela ação de microorganismos existentes no solo, em elementos utilizados na nutrição das plantas e na melhoria das condições físicas e biológicas do solo. Hoje, 57% do lixo produzido na cidade de São Paulo é formado por restos de comida, ou seja, matéria orgânica. Uma maneira de diminuir este volume de lixo seria a sua compostagem. A compostagem é a técnica para se obter mais rapidamente e em melhores condições a decomposição biológica da matéria orgânica, copiando o que ocorre naturalmente nas florestas, formando o composto orgânico ou húmus. O composto é uma fonte de nutrientes e de matéria orgânica estabilizada para ser usado em solos de jardins e hortas, contribuindo para a melhoria da qualidade do solo. A compostagem poderia ser feita em usinas, para escala maior, ou nas próprias casas, o que é denominado compostagem doméstica. Com a prática da compostagem doméstica, a quantidade de lixo gerado é reduzida, diminuindo assim o lixo a ser recolhido pelos coletores e aumentando o tempo de vida útil dos aterros.

AGRICULTURA NA CIDADE É ATITUTE

"Agricultura na cidade é atitude, o resto é conversa" foi o título dado à um pequeno texto publicado no site da MTV, na seção sobre sustentabilidade na prática. Junto com o texto, está também publicado no site uma parte do vídeo que relata a vivência feita na JambroHouse em parceria com a EcoBrooklin. Para quem quiser conferir, o link é:
http://mtv.uol.com.br/sustentabilidade/dicas/agricultura-na-cidade-%C3%A9-atitude-o-resto-%C3%A9-conversa
E mudando de assunto, vale lembrar que já temos aqui no Blog Agricultura na Cidade vídeos sobre Agrião e Rúcula, Alface, Condimentos, Beterraba e Tomate. Para acessá-los basta conferir as postagens mais antigas.

EcoBrooklin e JambroHouse

No dia 21/06/09, domingo que marcou o solstício de inverno no hemisfério sul, EcoBrooklin e JambroHouse se uniram pra fazer a coisa acontecer e deram nova cara à casa que agora possui uma horta caseira e sua composteira de pneus. Muita alegria, atitude e interação com a vizinhança marcaram esta data.

EcoBrooklin e JambroHouse - O Filme

HORTAS URBANAS NA INTERNET

Horta na janela, na varanda, no terraço e até na lage. Uma reportagem no site* da casa/abril/uol mosta o cultivo de temperos e hortaliças em diferentes ambientes, inclusive em apartamentos. Com desenhos arrojados e cheios de estética a reportagem contempla a agricultura na cidade associada ao paisagismo. Só vale lembrar que a horta caseira não precisa necessariamente de tamanho design, podendo ser feita a partir de caixas, telhas, vasos e outros materiais que podem ser reaproveitados sem custo. Mesmo assim vale a pena uma olhada na reportagem:

Exemplo de hortas caseiras utilizando materiais reaproveitados.

ECOTERROSISMO?

O senador Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR) comemorou em Plenário, nesta quinta-feira (4), a aprovação pelo Senado do Projeto de Lei de Conversão 9/09, originário da Medida Provisória (MP) 458/09, que regulariza as terras ocupadas na Amazônia Legal, em áreas da União, com até 1,5 mil hectares. É a regulamentação fundiária da Amazônia. Segundo o discurso* "demos um primeiro passo, (...), para de fato cuidar de maneira realista da Amazônia". Mas o senador foi além... "Pegue uma nota de um real, de dois, de cinco, de dez, de cinquenta, de vinte, de cem. O que tem nelas? Só bicho, é só animal, não tem um ser humano, um vulto histórico! O Brasil não tem história nas suas cédulas. Pegue as cédulas de dinheiro de qualquer outro país e veja se isso existe. Isso não existe. Isso é o resultado de um ECOTERROSIMO de que o Brasil vem sendo vítima e que vem assimilando e reproduzindo". Segundo Cavalcanti, temos que priorizar "as pessoas em primeiro lugar, o meio ambiente em segundo lugar, e os bichos em terceiro lugar".
Agora é a minha vez... Em primeiro lugar creio que o Excelentíssimo Senador não compreende o verdadeiro significado e valor do "meio ambiente", e muito menos que nele estão as pessoas e os bichos. Em segundo lugar gostaria de deixar claro ao Sr. Cavalcanti que TEMOS SIM UMA IDEOLOGIA, uma posição política e verdadeira e talvez por isto não estamos vendidos ou corrompidos como muitos por aí. Viva a "Conspiração Espiritual". Lutamos sim. As armas são as fotos expostas ao lado. E sinto muito senador, mas não temos previsão de parar.
* O discurso do senador na íntegra pode ser visto em:
http://www.senado.gov.br/agencia/verNoticia.aspx?codNoticia=91930&codAplicativo=2

CONSPIRAÇÃO ESPIRITUAL

Na superfície da terra exatamente agora há guerra e violência e tudo parece negro. Mas simultaneamente, algo silencioso, calmo e oculto, está acontecendo e certas pessoas estão sendo chamadas por uma luz mais elevada. Uma revolução silenciosa está se instalando de dentro para fora. De baixo para cima. É uma operação global. Uma conspiração espiritual. Há células dessa operação em cada nação do planeta. Vocês não vão nos assistir na TV. Nem ler sobre nós nos jornais. Nem ouvir nossas palavras nos rádios. Não buscamos a gloria. Não usamos uniformes. Nós chegamos em diversas formas e tamanhos diferentes. Temos costumes e cores diferentes. A maioria trabalha anonimamente. Silenciosamente trabalhamos fora de cena. Em cada cultura do mundo. Nas grandes e pequenas cidades, em suas montanhas e vales, nas fazendas, vilas, tribos e ilhas remotas. Você talvez cruze conosco nas ruas, e nem percebe... Seguimos disfarçados. Ficamos atrás da cena. E não nos importamos quem ganha os louros do resultado, e sim, que se realize o trabalho. De vez em quando nos encontramos pelas ruas. Trocamos olhares de reconhecimento e seguimos nosso caminho. Durante o dia muitos se disfarçam em seus empregos normais. Mas á noite, por trás de nossas aparências, o verdadeiro trabalho se inicia. Alguns nos chamam do Exercito da Consciência. Lentamente estamos construindo um novo mundo. Com o poder de nossos corações e mentes. Seguimos com alegria e paixão. Nossas ordens nos chegam da Inteligência Espiritual e Central . Estamos jogando bombas suaves de amor sem que ninguém note; poemas, abraços, musicas, fotos, filmes, palavras carinhosas, meditações e preces, danças, ativismo social, sites. blogs, atos de bondade... Expressamos-nos de uma forma única e pessoal. Com nossos talentos e dons. Sendo a mudança que queremos ver no mundo. Essa é a força que move nossos corações. Sabemos que essa é a única forma de conseguir realizar a transformação. Sabemos que no silencio e humildade, temos o poder de todos os oceanos juntos. Nosso trabalho é lento e meticuloso. Como na formação das montanhas. O amor será a religião do século 21. Sem pré-requisitos de grau de educação. Sem requisitar um conhecimento excepcional para sua compreensão. Porque nasce da inteligência do coração. Escondida pela eternidade, no pulso evolucionário de todo ser humano. Seja a mudança que quer ver acontecer no mundo.. Ninguém pode fazer esse trabalho por você. Nós estamos recrutando. Talvez você se junte a nós. Ou talvez já tenha se unido. Todos são bem bem-vindos. A porta está aberta.
Autor desconhecido

INFLUÊNCIAS HISTÓRICAS


O brasileiro possui diversas influências na agricultura e nos hábitos alimentares. A primeira delas é dos índios, que antes da chegada dos portugueses, alimentavam-se com mandioca, vários tipos de feijões e favas, moranga, batata-doce, tomilho, maxixe, caruru, amendoim e vários tipos de pimenta. Os portugueses, por sua vez, trouxeram o hábito de cultivar hortas, um hábito europeu devido à alimentação baseada em vegetais cozidos, principalmente na forma de caldos. Em terras brasileiras os portugueses adotaram a mandioca e plantaram temperos (como coentro, cominho, hortelã, manjericão, alfavaca, salsa, cebola, alho e poejo), couve, nabo, pepino, cenoura, alface, espinafre e berinjela. Outa influência foi dada com a chegada dos africanos. Estes mantinham seus “roçadinhos” ao redor da senzala, onde plantavam quiabo, inhame, vinagreira, erva-doce, melancia, gergelim, açafrão e vários tipos de pimenta. No entanto, a contribuição mais significativa para o hábito de consumir hortaliças ocorreu com a chegada dos japoneses, a partir de 1908. Depois de trabalharem nas grandes fazendas de café, estes instalaram-se em pequenas propriedades ao redor da cidade de São Paulo, formando o cinturão verde. Lá produziam em larga escala couve-chinesa, couve-rábano, espinafre, bardana, rabanete, repolho, mostarda, broto de bambu e broto de feijão.

PROGRAMA "FARMÁCIA EM CASA"

Desde a antiguidade o homem utiliza plantas para cura ou alívio de seus males. Fitoterapia é o nome dado ao tratamento de doenças com o uso de plantas medicinais, e este pode ser feito na forma curativa, porém é mais eficiente na forma preventiva.É importante ressaltar que a fitoterapia não é uma ciência simples e sem efeitos. Deve ser utilizada dentro de normas técnicas e a orientação médica é fundamental. Uma das alternativas de se obter matéria-prima para a fitoterapia é a horta caseira.
Então mãos à obra para montarmos uma farmácia em nossas casas!!!

ESPIRAL DE ERVAS

A espiral de ervas é muito útil para se otimizar espaços, além de serem muito bonitas. Plante as diferentes ervas, usadas para cura, temperos ou chás, considerando as necessidades de cada uma. O topo da espiral tende a ser mais seco e a base mais úmida. Mas pode-se plantar também hortaliças nestas espirais. Esta, feita de tijolos, foi construída na escola Tick&Titos na Vila Mariana em São Paulo.
"Uma das coisas mais excitantes, acerca da horta, é que nós estamos criando um lugar mágico da infância para crianças que não teriam tal lugar de outra forma e não estariam em contato com a terra e as coisas que nela crescem." (Phoebe Tanner)

SAUDADES!

Peço licença para uma pequena homenagem.
Que seu caminho continue cheio de paz e luz!
14/03/2009 - A partir deste dia, João Caccere Berlanga deixará saudades.

CONDIMENTOS

CAMPANHA AKATU DE COMBATE AO DESPERDÍCIO DE ALIMENTOS

Segundo o site do Akatu, no Brasil, aproximadamente um terço de todos os alimentos comprados em uma casa é desperdiçado. Junto com eles, todas as suas embalagens, toda a água e energia usadas na sua produção e no transporte são também jogados fora, gerando inúmeros impactos negativos para a sociedade, para a economia e para o meio ambiente.
Para SABER MAIS:
http://www.akatu.org.br/central/noticias_akatu/2009/nova-campanha-do-akatu-combate-o-desperdicio-de-alimentos

INFORMAÇÕES ÚTEIS

Para o cultivo de hortaliças em casas e apartamentos é preciso considerar:
- a área a ser utilizada;
- a quantidade de terra e por conseqüência seu peso (tomar cuidado com lajes e prateleiras);
- a praticidade e atenção para irrigação;
- critérios para a escolha de espécies e variedades;
- critérios para a escolha e associação de espécies;
- forma de reprodução das hortaliças.

Área a ser utilizada e quantidade de terra
A área a ser utilizada deve receber sol, pelo menos de 6 a 4 horas por dia e, de preferência, o sol da manhã. A ventilação da área deve ser boa.
Muito cuidado deve ser tomado com o peso da horta, seja ela suspensa, em caixas ou telhas. Algumas estruturas podem não suportar o peso a acabarem cedendo.

Irrigação
Atenção tem que ser dada à irrigação. Regar em excesso pode causar a lixiviação dos nutrientes pela água excedente acarretando em perda do sabor dos legumes, redução do valor alimentar e até a redução do crescimento de raízes como cenoura. De uma forma geral, as hortaliças folhosas como alface e couve devem receber irrigação abundante (não exagerada!). As raízes, como cenoura e nabo, no entanto, podem suportar e até se beneficiar quando submetidas a baixos níveis de irrigação. No caso de se plantar diferentes hortaliças associadas, como uma folhosa e uma raiz, inicialmente pode se adotar uma irrigação mais abundante, e posteriormente espaçar o turno da rega. Isto porque as hortaliças folhosas geralmente têm o ciclo mais curto. Tradicionalmente a irrigação é feita no início da manhã e no fim da tarde. Isso pode otimizar a disponibilidade de água para a planta. A freqüência das regas dependerá do clima local em que o cultivo se dá, assim como a estação do ano. Em locais e estações muito secas a perda de água da planta por transpiração e do solo por evaporação será mais rápida.

Critérios para a escolha e associação de espécies
Deve-se dar preferência para hortaliças:
- que crescem de maneira vigorosa, e apresentam resistência às pestes em geral (insetos e doenças) sem a necessitarem de defensivo;
- de ciclo cultural curto, permitindo o maior número de colheitas;
- de porte relativamente pequeno, uma vez que em áreas urbanas o espaço será reduzido.
Algumas espécies podem ser associadas entre si, podendo favorecer-se mutuamente. Outras, no entanto, não podem conviver, pois prejudicaria o crescimento de uma ou até mesmo das duas. Espécies folhosas e produtoras de sombra podem se associar melhor com as que gostam de sombra. Por exemplo, o tomate sombreando salsa. Hortaliças de ciclos curtos podem se associar com as de ciclos longos, permitindo geralmente associações livres de competição. Diferentes exigências em nutrientes favorecem as associações. Por exemplo, rúcula e feijão, com relação ao consumo de nitrogênio e fósforo.
LEMBRETE: a adaptação do vegetal ao clima e seu valor alimentar são essenciais para escolha das espécies.

Forma de reprodução das hortaliças
A maioria das hortaliças pode ser reproduzida por sementes embora outras formas assexuadas de reprodução, como por meio de ramos, rizomas e bulbos podem ser adotadas em alguns casos. As formas assexuadas podem ser interessantes para otimizar e acelerar a produção, além de garantir as qualidades da planta mãe. Mas atenção, sua desvantagem é a possibilidade de transmissão de doenças e pragas ao novo plantio.
LEMBRETE: Para garantirmos uma alimentação diversificada em nutrientes, sais minerais e vitaminas, nossa horta deverá conter tipos variados de hortaliças, produtoras de folhas, raízes tubérculos, flores e frutos. Delas aproveitaremos, sempre que possível, a planta inteira: folhas, talos, raízes etc. Pois cada parte concentra princípios nutritivos diferentes: as folhas são mais ricas em vitaminas do complexo B; os frutos em vitaminas C e A; os talos são ricos em fibras; e as raízes são ricas em carboidratos.
A maior parte das informações destre texto foram retiradas do livro "Manual de Horticultura Ecológica - auto suficiência em pequenos espaços" de João Francisco Neto. Editora Nobel, 2002, São Paulo.