Encontro no Ashram com construção de pergolado de bambu

No final de semana dos dias 21 e 22 de setembro de 2013, a Comunidade Espiritual Era Dourada Ashram promoverá mais um encontro. Neste final de semana haverá construção de um pergolado de bambu, sobre um banco de uma nova praça feita dentro do Ashram. Também haverá palestra sobre ética e princípios da Permacultura, prática de yoga e meditação. Além das atividades programadas para o encontro, o Ashram conta com diversas obras literárias sobre permacultura, educação, alimentação vegetariana, yoga, meditação, psicologia e caminho espiritual disponíveis para leitura e consulta no local. Venha participar deste momento de aprendizado, trocas de experiências, conversas, práticas e contato com a natureza. O  valor  do  investimento  para  participação  no  encontro  é  de R$ 160,00 e inclui a participação em todas as atividades, além de hospedagem em nossos chalés e todas as refeições (café da manhã, almoço, lanches da tarde e jantar no sábado e café da manhã e almoço no domingo).


Envie um e-mail para eradourada.ashram@gmail.com para esclarecer dúvidas e/ou solicitar ficha de inscrição. As inscrições deverão ser feitas até o dia 18/09/13.
Local: Piedade/SP (120 km de São Paulo/SP)

CRONOGRAMA DO EVENTO

Sábado
8h - Roda de conversa e apresentação
8h30 - Prática de Yoga
9h30 - Café da manhã
10h30 - Caminhada pelo Ashram e conversa sobre ética e princípios da Permacultura
11h - Início da construção do pergolado de Bambu
13h - Almoço
14h30 - Continuação da construção do pergolado
20h - Yoga e meditação
21h - Jantar
Domingo
8h - Prática de Yoga
9h - Café da manhã
10h - Término da construção do pergolado
12h - Almoço
13h - Roda de conversa final

Dia Mundial da Alimentação - 16 de outubro


CONCURSO DE CARTAZES: SISTEMAS ALIMENTARES SAUDÁVEIS

No Dia Mundial da Alimentação 2013, FAO convida crianças e jovens de todo o mundo a conhecer melhor o tema
O dia 16 de outubro foi escolhido pelas Nações Unidas como Dia Mundial da Alimentação e a cada ano um novo tema é selecionado com o objetivo de chamar atenção para questões importantes envolvendo a segurança alimentar e nutrição. Em 2013 o assunto escolhido são “Sistemas Alimentares Saudáveis” e propõe uma análise dos impactos dos sistemas alimentares para o meio ambiente. Da plantação à colheita, do processamento às embalagens, do transporte até as prateleiras de comercialização, a comida que chega às nossas mesas passa por diversas fases e para isso utiliza um bocado de água, cria perigosos gases de efeito estufa e termina afetando cada planta e animal do planeta.
A Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) e a Aliança das Nações Unidas para as Mulheres (UNWG) convidam crianças e jovens de 5 a 17 anos a conhecer mais sobre o tema e participar de um Concurso de Cartazes. O concurso é aberto a participação de crianças de todo o mundo que serão selecionadas em três categorias: 5 a 8 anos, 9 a 12 anos e 13 a 17 anos. Os cartazes podem ser desenhados, pintados ou usar técnicas misturadas, inclusive arte digital (porém não são aceitas fotografias). Os três vencedores terão seus trabalhos expostos nos websites e páginas em redes sociais da FAO e do movimento EndingHunger, receberão um certificado de reconhecimento e um kit composto de uma camiseta da campanha #EndingHunger e um presente surpresa.

Diversas informações sobre o assunto estão disponíveis em nossos websites (especialmente em inglês e espanhol, mas também estamos providenciando material em português).

Em caso de dúvidas ou questionamentos, não exitem em entrar em contato com nossa assessoria de comunicação pelo email faobr-press@fao.org ou pelo Twitter @FAO_Brasil.


SERVIÇO

Concurso de Cartazes – Dia Mundial da Alimentação
Categorias: 5 a 8 anos, 9 a 12 anos, 13 a 17 anos
Data final para envio: 30 de setembro – Anúncio dos vencedores: 16 de outubro


Urban Homestead - Alta eficiência em pequenos espaços


Seguindo na linha das fazendas urbanas, um bom exemplo deste tipo de prática é o vivido pela família Dervaes. O projeto chama-se Urban Homestead (Sítio Urbano) e localiza-se em Pasadena, nos EUA. Jules e os filhos Justin, Anais e Jordane são sitiantes urbanos que têm tornado sua residência cada vez mais independente. Cultivam verduras, legumes e frutas em pequenos espaços urbanos, além de criarem abelhas, galinhas e coelhos. Também alimentam fermentos naturais e assam os próprios pães. De acordo com Jules, conforme publicado em reportagem do jornal O Estado de São Paulo, "comida cultivada em casa é muito superior em sabor e nutrientes do que a que vem do supermercado. Além disto, não é mais saudável só para você, mas também para o ambiente". 
Nesses tempos de reflexão sobre o espaço urbano e discussões acerca do Plano Diretor das principais cidades do Brasil, como acontece em São Paulo, projetos como este têm que ser considerados. E não há receitas e protocolos a serem seguidos. De acordo com Jules, transportar o modelo de grandes fazendas para um espaço reduzido custou muito trabalho físico e mental, sendo o atual sucesso do projeto o resultado de tentativas e erros.
Para mais informações sobre o projeto da família Dervaes, acesse a reportagem publicada no caderno "Paladar" do jornal O Estado de São Paulo:
http://www.estadao.com.br/noticias/suplementos-paladar,occupy-seu-quintal,4717,0.htm
Assista também um breve documentário do projeto vivenciado na Urban Homestead:
video

Fazendas Urbanas em Londres

Uma reportagem publicada no site da Folha de São Paulo mostra fazendas urbanas em Londres. Muitas destas fazendas vendem produtos, como manteiga, queijo e leite de cabras e vacas, frutas, verduras e ervas produzidas no local. As administrações regionais costumam dar apoio financeiro às fazendas, que oferecem raras possibilidades de interações homem-terra/seres vivos existentes no modelo de vida rural, mas quase inexistente no ambiente urbano. Em algumas das fazendas, grupos de escolas locais podem participar de sessões de produção de queijo e manteiga e assistir à ordenha de vacas e cabras. Entre os objetivos das fazendas urbanas, está a conscientização de populações de cidades sobre atividades agrícolas, de forma a esclarecer a relação entre alimentos e animais e plantas. 

Para ver a matéria completa acesse:
http://www1.folha.uol.com.br/bbc/1125620-fazendas-urbanas-sao-enclaves-rurais-no-centro-de-londres.shtml

Democracia e bombas: DE SEMENTES


Todos têm visto ultimamente as manifestações por todo o país. A proposta aqui, uma vez que escrevemos sobre agricultura urbana, é que nestas manifestações sejam utilizadas bombas de sementes, que são pacíficas e auxiliam a proliferar a vida vegetal em nossa cidade, tornando-a mais biodiversa. As bombas podem ser lançadas em terrenos baldios, praças, canteiros de avenidas, dentre outros espaços com terra, para que as sementes possam germinar. Para fazer sua bomba de sementes, você vai precisar de:
- argila
- terra compostada
- sementes da sua escolha (pode ser salsa, distribuindo temperos pela cidade!)
COMO FAZER: para cada 5 partes de argila, deve-se misturar uma de composto orgânico e uma de sementes. Basta então misturar os ingredientes, adicionar água aos poucos até que a mistura fique homogênea. Por fim, modele a massa que se formou a partir dos três ingredientes e deixe secar por algum tempo, até que endureça. Pronto! Você poderá bombardear a cidade de vida!
Aproveite também para trocar sementes com as pessoas, aumentando a biodiversidade de seu "armamento". Creio que este é o espírito da grande maioria dos manifestantes por todo o país, que buscam juntos unir esforços e trocar experiências para uma transformação local, com novas atitudes e um país repleto de cidades onde a vida possa ser valorizada.

Floricultura estimula preservação da Serra do Gandarela


Floricultura Ikebana Flores, de Minas Gerais, lançou o programa PLANTE UMA ÁRVORE NA SERRA DO GANDARELADurante a campanha, a floricultura estará distribuindo gratuitamente mudas típicas do cerrado (ipê branco, ipê amarelo, sucupira, entre outras.) a quem se interessar. Para pegar uma muda, basta comparecer de segunda-feira a sexta-feira, de 10h00 as 19h00, na Av. Getúlio Vargas, 1697, Savassi – Belo Horizonte-MG. O telefone é (31) 3227-4802. Situada em Minas Gerais, há 40 km de Belo Horizonte, a Serra do Gandarela abrange a região de Caeté, Barão de Cocais, Santa Bárbara, João Monlevade e Ipatinga, municípios que dependem do abastecimento das águas que percorrem essa região (Bacia do Rio das Velhas e São Francisco, e do Rio Piracicaba e Doce). A Serra do Curral e a Serra do Caraça são uma das belezas naturais que estão dispostas em meio a Serra do Gandarela, que possui uma reserva de Quadrilátero Ferrífero com uma biodiversidade de mananciais com biomas de Mata Atlântica, vegetação rupestre e cangas, danificados pela mineração local e ações de desmatamentos constantes. Cerca de 100 mudas foram plantadas com o apoio dos blogueiros e sites que estão disseminando a campanha, por isso, as ações de plantio continuarão por tempo indeterminado. Além disso, as plantações deram inicio em janeiro de 2013 e se sucederão em outubro, obedecendo a um cronograma de plantio que ocorre em meses nublados, pois são favoráveis a essas ações.

Festa Junina no Era Dourada Ashram

No final de semana dos dias 15 e 16 de junho de 2013, a Comunidade Espiritual Era Dourada Ashram promoverá a sua Festa Junina. A mesma acontecerá no sábado à noite, a partir das 17h. Mesmo com a festa, outras atividades como palestras, práticas de yoga, meditação, oficinas e cine consciente acontecerão durante todo o final de semana. Além das atividades, o Ashram conta com diversas obras literárias (livros e revistas) sobre permacultura, educação, alimentação vegetariana, yoga, meditação, psicologia e caminho espiritual disponíveis para consulta e estudo dos hóspedes. Venha participar deste momento de confraternização em contato com a natureza!  

Para mais informações, reservas, formas de pagamento e caminho para chegar ao Ashram envie um e-mail para: eradourada.ashram@gmail.com


10 coisas que você precisa saber sobre a fome em 2013


Lista compilada pelo Programa Mundial de Alimentos, da ONU, sugere que a fome é o maior problema solucionável do mundo. As Nações Unidas publicaram, nesta quarta-feira, uma lista sobre as 10 coisas que todos devem saber a respeito da fome neste novo ano. Confira abaixo os tópicos compilados pelo Programa Mundial de Alimentos, PMA:
1. O mundo tem cerca de 870 milhões de pessoas que não têm o necessário para comer para levar uma vida saúdável. Isto significa que uma em cada oito habitantes do globo vai para a cama, todos os dias, passando fome. (Fonte: FAO, 2012)
2. O número de pessoas vivendo com fome crônica baixou para 130 milhões nas últimas duas décadas. Nos países em desenvolvimento, a prevalência da má nutrição caiu de 23,2% para 14,9% no período de 1990-2010. (Fonte: FAO, 2012)
3. A maioria do progresso contra a fome foi alcançado antes de 2007/2008, quando ocorreu a crise econômica global. Desde então, os avanços na redução do problema foram desacelerados e estagnados. (Fonte: FAO, 2012)
4. A fome é o problema número 1 na lista dos 10 maiores riscos de saúde. Ela mata mais pessoas todos os anos que doenças como Aids, malária e tuberculose combinadas. (Fonte: Unaids, 2010. OMS, 2011)
5. A má nutrição está ligada a um terço da morte de crianças com menos de cinco anos nos países em desenvolvimento. (Fonte: Igme, 2011).
6. Os primeiros mil dias da vida de uma criança, da gravidez aos dois anos de idade, são fundamentais para o combate à má nutrição. Uma dieta apropriada, nesta época da vida, protege os menores de nanismos físico e mental, que podem resultar da má nutrição. (Fonte: Igme, 2011).
7. Custa apenas 25 centavos de dólar americano, por dia, para garantir que uma criança tenha acesso a todas os nutrientes e vitaminas necessários ao crescimento saudável. (Fonte: Igme, 2011)
8. Se mulheres, nas áreas rurais, tiverem o mesmo acesso à terra, à tecnologia, à educação, ao mercado e aos serviços financeiros que os homens têm, o número de pessoas com fome poderia diminuir entre 100 e 150 milhões. (Fonte: FAO, 2011)
9. Até 2050, as mudanças climáticas e os padrões irregulares da temperatura terão colocado mais 24 milhões de pessoas em situação de fome. Quase metade destas crianças estarão vivendo na África Subsaariana. (Fonte: PMA, 2009)
10. A fome é o maior problema solucionável do mundo.

Matéria de Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York, publicada pelo EcoDebate, 09/01/2013

Projeto de Lei (PL 4412/12) - Pela proibição dos agrotóxicos


Projeto de Lei (PL 4412/12) do deputado Paulo Teixeira (PT-SP) pretende proibir a comercialização de mais de 20 tipos de agrotóxicos no Brasil. A Câmara avalia um projeto de lei, de autoria do deputado Paulo Teixeira, que proíbe a utilização e o estoque de uma série de agrotóxicos com suspeita de causarem danos à saúde e ao meio ambiente. Pela proposta, a comercialização de mais de 20 agrotóxicos seria proibida no país (produtos que tenham como ingrediente ativo: abamectina, acefato, benomil, carbofurano, cihexatina, endossulfam, forato, fosmete, heptacloro, lactofem, lindano, metamidofós, monocrotofós, paraquate, parationa metílica, pentaclorofenol, tiram, triclorfom, e qualquer substância compreendida no grupo químico dos organoclorados). Paulo Teixeira fala da importância da medida para a saúde dos brasileiros. “Esses agrotóxicos já são proibidos nos Estados Unidos e na Europa, porque está comprovado que fazem mal à saúde. Temos que banir esses produtos da mesa do brasileiro”. Alguns desses agrotóxicos já foram proibidos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Outros ainda estão no mercado, mas contam com restrições de uso ou estão em fase de avaliação. Segundo Teixeira, no entanto, “há evidências de que os produtos em fase de análise são altamente danosos à saúde humana”. Pela proposta, os produtos com glifosato como ingrediente ativo deverão ser reavaliados em até 180 dias após a publicação da nova lei. Até a análise dos possíveis danos causados pelo princípio, esses produtos serão classificados como extremamente tóxicos ou altamente perigosos, com consequentes restrições de uso. A proposta deve ser aprimorada com a participação de especialistas e da sociedade civil. “Muitas pessoas estão preocupadas com esse tema. Estamos divulgando o projeto de várias formas para que a população possa se engajar nessa luta. É inadmissível que nós tenhamos no Brasil a comercialização de agrotóxicos que podem causar doenças, isso sem falar na questão ambiental, já que são altamente poluentes”, declarou Teixeira. Estoques – De acordo com o projeto, as pessoas que tiverem estoque desses produtos na data da publicação da nova lei deverão devolvê-lo aos fabricantes ou aos importadores, que serão responsáveis pelo seu descarte correto. Caso essas empresas não existam mais, o órgão de registro dos agrotóxicos deverá indicar a destinação necessária para cada produto.
Para mais informações acessem o site do deputado Paulo Teixeira ou o sita da Câmara dos Deputados. Os links já vão direto para as páginas relacionadas ao projeto em questão.

Você já ouviu falar em Parklets?

Imagem de Parklet (Fonte: Revista Galileu)
Já ouviu falar em Parklets? De acordo com reportagem publicada na Revista Galileu (Janeiro de 2013 / no 258), Parklets são “miniparques urbanos feitos em espaços pequenos que podem ser de uma vaga de estacionamento na rua ou o final de um beco sem saída”. A ideia nasceu em São Francisco, na Califórnia, em 2004, e tem como objetivo é criar pela cidade espaços com bancos para descanso, com aparelhos de ginástica e até mesmo com wifi livre para aqueles que passam no local. A idéia é proporcionar mini áreas verdes ao longo da cidade, principalmente para aqueles que não moram perto de grandes parques ou similares. Além disto, a proposta também é “recuperar áreas públicas tomadas pelos carros e devolvê-las para as pessoas”, defende Lincoln Paiva, na reportagem da revista. Paiva ainda explica que mesmo com a resistência inicial de parte dos motoristas, este tipo de iniciativa leva à uma mudança no comportamento das pessoas, que se voltam mais às ruas, diminuindo o trânsito na região. Para ler a reportagam completa da Revista Galileu CLIQUE AQUI.